No mar, um barco a vela corta as ondas do atlântico. No leme, três mulheres andarilhas navegam lado a lado pelo deserto verde das águas. Por ilhas oceânicas ou enseadas continentais, ancoram no remanso das praias, montam tendas na areia, acendem fogo, dançam e cantam acompanhadas pela natureza e por novos amores

coleção marias do mar

Dormem o sono das mulheres livres e sonham o futuro por mares proibidos. Pela manhã, o sol anima seus corações errantes: é hora de erguer âncora e partir.

Herdaram o espírito livre das antigas corsárias, mantêm viva a paixão nômade das mulheres ciganas. Sem mapas, fazem o próprio caminho conforme a quilha parte as ondas, e sabem que para navegar entre o vento e a maré, o desejo e o receio, é preciso deixar-se levar. Tão enigmático quanto o destino, é a identidade dessas mulheres.

Sabe-se apenas que elas navegam rumo ao oeste poente seguindo as Três Marias, três estrelas de brilho intenso que cintilam juntas no Cinturão de Órion.

Já disseram que essas três mulheres são as próprias estrelas desgarradas do céu que lançam velas ao mar no nascer do sol e retornam ao firmamento no fim do dia.

Por esse elo misterioso com as Marias do céu, do atlântico norte ao atlântico sul, essas mulheres são conhecidas como As Marias do Mar.